sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

O Brasil implodiu


Imersos ao caos, personificado pela desigualdade social, pelo banditismo, pela impunidade, pela corrupção e pela justiça feita com as próprias mãos, percebemos que o Brasil agoniza, tal como um corpo inerte no chão, cujos órgãos já não respondem mais.

Sim! O Brasil está falido. E isto é evidente e inegável, quando constatamos que o Estado, tal como um corpo agonizando,  não tem mais forças para impor e fazer valer as regras, pois seus órgãos estão frágeis, corroídos pela corrupção, que fragiliza e mata, aos poucos, o Estado e o seu cidadão.

 Quando um grupo de pessoas amarram um bandido a um poste, na tentativa de impor à força a Lei do homem, fica notória a falência do Estado, que não tem mais condição de garantir a segurança e a ordem pública. Quando o banditismo prolifera-se pelas ruas da cidade, agindo sem critério, ao ponto de invadir hospitais e de atear fogo a um ônibus de passageiros, fica evidente que o Estado de direito, faliu. O fato é que o cidadão, que deveria ser protegido pelo Estado, o qual deveria garantir e respeitar os seus direitos sociais e constitucionais, como o direito de ir e vir, sente-se órfão.

E percebendo a sua condição de vulnerabilidade, este tenta proteger-se, fazendo surgir um outro tipo de Estado, o Estado de beligerância, que no jargão popular chamamos de “terra de Marlboro” cujas leis são feitas com as próprias mãos. E assim, retrocedemos, ao ponto de vivenciarmos a selvageria sem limites, típica de países africanos, que são dominados por grupos de milicianos, que preenchem o hiato deixado pelo Estado de direito, que não teve competência para comandar, legislar e fazer a tal justiça.

 O Brasil, enquanto Estado, está falido, vítima da irresponsabilidade e da covardia por parte daqueles que usam do poder político ( que lhes foi creditado pelo povo para representá-lo) para governar e legislar em favor de interesses particulares. Os senhores de gravata, governam e legislam, norteados pela troca de favores, contaminados pela corrupção, que fragiliza os três poderes, e prolifera-se pelos demais órgãos públicos e privados, tornando o Brasil, um país inviável e sem um futuro promissor.  E como um navio a deriva, que lhe falta um comandante, buscamos, cada um por si, fazer as nossas leis, motivados pelo instinto natural de sobrevivência. E de fato, num país como o nosso, onde nos sentimos órfãos do Estado, só nos resta rezar e pedir para que Deus nos guie, porque do jeito que as coisas andam neste país, só  Deus mesmo para nos proteger. Mas nem sempre podemos contar com ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário